05 março 2012

[Resenha] Casa de Bonecas, de Henri Ibsen

Capa
Escrita em 1879, pelo dramaturgo norueguês Henrik Ibsen, Casa de Bonecas, causou grande controvérsia literária na ocasião. O motivo deve-se ao fato de Nora, protagonista da história, romper os padrões sociais da época. 

A peça de teatro conta o dia a dia do casal Helmer, Nora e Torvald, pais de três filhos, retratando o perfil da sociedade da época: a mulher como dona de casa, criada para cuidar da família e da casa (coordenando os trabalhos da babá e da empregada); o marido, chefe da família, autoritário (à medida que decide tudo sozinho), que crê ser responsável por educar a esposa. 

HELMER: (...) descanse tranquila, tenho amplas asas para protegê-la. (Andando de um lado para o outro, sem se afastar da porta) Ah, como o nosso lar é aconchegante e encantador, Nora! Aqui você está segura! Eu a guardarei como a uma pomba que foi acolhida depois de ser retirada sã e salva do abutre. Saberei aquietar o seu pobre coração palpitante. 

O drama gira em torno da atitude de Nora perante a atitude do marido: por estar doente, Torvald deve descansar em outra cidade, de clima mais propício. Nora, então, dá um jeito de conseguir dinheiro com um agiota, Krogstard, para realizar a viagem, sem que o marido saiba. Tempos depois Krogstard passa a chantageá-la e a trama se desenvolve nos desenlaces desta chantagem. 

Entre idas e vindas, Nora recebe a ajuda de sua amiga, Senhora Linde, para lidar com a chantagem de Krogstard; mas, enquanto a peça acontece, a Senhora Helmer percebe que nada é como deveria ser. Temos, então, um momento de epifania em que há o rompimento com a visão machista em que Nora está confinada. 

Com seu texto curto e direto, Ibsen consegue passar sua mensagem para a sociedade. E isto é um ponto de atenção. Andei lendo algumas resenhas no skoob, em que muitas pessoas disseram que a peça é ruim, por ser machista. De fato, para se escrita nos dias de hoje, a história de Ibsen não seria bem aceito – ainda que ele tente libertar as mulheres da visão inferiorizada. Entretanto, não podemos ignorar o contexto histórico em que o autor nasceu, viveu e escreveu tal dramaturgia. Se levarmos em consideração que um homem escreveu este texto em 1879, podemos inferir que a obra é libertadora, não machista. Quando todos acreditavam que a mulher não tinha opinião, Ibsen nos apresenta Nora tendo um momento de epifania. Isso é extremamente louvável e revolucionário. 

Livro: Casa de Bonecas 
Autor: Henrik Ibsen 
Tradução: Gabor Aranyi 
Gênero: teatro 
Editora: Veredas 
Série: Veredas em Cartaz 
Páginas: 104

Sobre a Autora:
Fernanda Rodrigues Fernanda Rodrigues é bacharela em Letras (Português e Inglês) e estudante do curso de Formação de Professores na USJT. Além de ser professora de Língua Inglesa, é louca por assuntos que envolvam a Literatura, as demais artes e o processo de ensino e aprendizagem. Escreve no Algumas Observações, no Escritos Humanos, no Teoria, Prática e Aprendizado e no Barbie Nerd

2 comentários:

  1. legal sua resenha! Foi exatamente assim que eu vi quando li este livro

    ResponderExcluir
  2. Me interessei muito nesse livro irei ler logo :)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...